28/12/13

Resenha - O que toda mulher inteligente deve saber



Sinopse: Esse livro trata de um tema fundamental: a auto-estima nos relacionamentos amorosos.  As mulheres inteligentes sabem que existem duas maneiras de aprender a lidar com os homens - uma fácil e outra difícil. O problema é que a maioria delas escolhe a segunda forma, passando por experiências que deixam cicatrizes, mágoa, raiva e insegurança. O objetivo de Steven Carter e Julia Sokol é justamente ensinar um caminho mais simples - e menos traumático - para alcançar essa sabedoria. Baseados em experiências de pessoas que, como nós, ja investiram em relacionamentos que não deram certo, perderam noites chorando e esperando telefonemas que nunca receberam, eles dão valiosas dicas para que você evite os mesmos erros. Qualquer mulher que tenha se apaixonado pelo menos uma vez na vida vai se reconhecer nessas histórias, rir de si mesma e descobrir que o amor verdadeiro é muito mais do que o coração disparado e pernas bambas. Com a ajuda deste livro você vai aprender também:
  • Os 11 mandamentos da mulher inteligente
  •  Como distinguir os homens certos dos errados
  • Quando acreditar no que ele diz e quando cair fora
  • Como identificar um homem potencialmente violento
  • Como lidar com uma separação
O que toda mulher inteligente deve saber vai ajudar você a escolher relacionamentos que lhe permitam crescer e sobretudo tornar-se a pessoa mais importante de sua própria vida.


 Autoras: Steven Carter & Julia Sokol
 Editora: Sextante
 Número de Páginas: 155
  

Eu ganhei esse livro em um sorteio feito pela Amanda Freire (ela é uma fofa! me mandou até uma cartinha junto com o livro ), enfim... O que toda mulher inteligente precisa saber é um livro bem tranquilo de se ler, uma leitura agradável, a capa e principalmente a sua cor são bem fofas, as páginas levemente amareladas deixam a leitura muito agradável, bem, o conteúdo é previsível nada do que já não saibamos, porém alguns trechos nos surpreendem. O livro relata histórias de outras mulheres e suas desilusões amorosas, a gente ri, e se identifica com as histórias, e é interessante podermos ver de outro ângulo as situações inusitadas que são parecidas com as que já passamos ao decorrer da vida. Mas a leitura apesar da previsibilidade é muito interessante, ela é válida sim! pois nada do que lemos se é perdido.


06/11/13

E ela morreu...




Apenas um textinho para reflexão

Ela morreu sem ter lido todos os livros que ela queria ter lido, morreu sem ter dito eu te amo, morreu antes de ter entrado numa faculdade, sem ao menos saber qual faculdade gostaria de fazer, ela morreu sem saber a continuação da sua fic predileta, antes de ter ido à Roma. Morreu sem conhecer os seus amigos virtuais, deixou também de ter conhecido o seu ídolo, ela morreu e não conseguiu encontrar o amor da sua vida, morreu sem saber amar e ser amada. Morreu sem dar um último melhor abraço do mundo, sem ter visto neve. Morreu sem saber o que é auto-estima. Sem saber que muitos a amavam, sem perceber que iria fazer falta se fosse. Ela, na verdade não soube o que era felicidade. Partiu sem ter um cão e um gato, sem ter pulado de para-quedas e também sem o primeiro beijo. Morreu sem antes dar um mero Olá, Bom dia, e um Obrigada. E a morte tomou conta dessa garota, à partir do momento em que ela deixou de acreditar em si mesma, deixou de acreditar em seus sonhos, em que ela acima de tudo teve medo, ou até mesmo deixou de lutar! noutras vezes fora orgulhosas, egoísta. O que as pessoas não sabem, é que existem muitos outros iguais à ela, já estão mortos, só esqueceram de avisá-los, e pode ter certeza, esse tipo e morte é a pior. Achar que é incapaz, não-merecedor, isso é a coisa mais triste que existe. Ela simplesmente se foi, ficou presente em corpo, mas sua alma estava desgastada, seus sonhos corroídos pelo mal, suas dores se tornaram profundas, ela cansou de lutar, pela vida, por seus desejos. Ela apenas sobreviveu a vida, não a viveu em si, não sorriu o quanto deveria sorrir, não quis errar para aprender, não abraçou o tanto que queria, não amou intensamente. E ela podia estar viva nesse momento, podia mudar a sua vida, fazer do seu passado mais feliz, mas não o fez, pois ela se foi, junto com as suas ambições, seus sonhos, com os seus desejos. Ela continua intacta, e ainda tem chances para mudar esse teu passado/presente/futuro, mas não o deseja mais, quer apenas ser isso, o que chama de solidão. Parece não haver mais volta.

Camila Rodrigues

04/11/13

#Novidade, lançamento da Intrínseca. O livro "Destrua Este Diário"


Versão em inglês (^^)

Geeeeeente! já ficaram sabendo dessa novidade? é um novo livro da editora Intrínseca, que se chama Destrua Este Diário, o livro foi elaborado por Keri Smithm e não tem uma história propriamente dita. O fato é que você vai usá-lo, sujá-lo, rasgá-lo, tudo isso com o intuito de ajudar na criatividade e tudo mais! (Será hein? ) Eu particularmente não teria essa coragem para destruir um livrinho!



Bem aqui vai a sinopse:

Um diário costuma servir para anotar ideias, memórias ou registros do cotidiano. Keri Smith, ilustradora e artista canadense, inventou um tipo diferente de diário, que exige do usuário uma interação mais lúdica e inusitada. Com a proposta de estimular a criatividade e questionar convenções sobre a forma como lidamos com os objetos, Destrua este diário nos convida a rasgar páginas, rabiscar, pintar fora das linhas, manchar e até mesmo levar o livro para o banho. A ideia surgiu quando Smith começou a refletir sobre o início da sua carreira como artista e percebeu que o perfeccionismo tão exaltado na nossa cultura era um grande empecilho do processo criativo. A experiência fez com que ela entendesse que é preciso esculhambar a monotonia e o lugar-comum para que o novo possa surgir.


No livro, ou melhor dizendo no tal Diário, a cada página que se passa você tem um desafio a cumprir, seja, levá-lo a todos lugares que você for (isso inclui banheiro, etc) colocar chicletes nas páginas, derramar café nele, fazer colagens, rabiscar, cortá-lo. Enfim... São vários desafios a serem concretizados, o que importa não é a ordem, e sim todos serem devidamente feitos! E aí? Alguém gostou da ideia? O livro está por um preço bem legal, de R$: 24,90.

Quem aí topa? haha' E que os jogos comecem... Não, pera

Para quem quiser saber mais sobre como é o livro, sugiro que cliquem aqui.

Parece que está acontecendo uma brincadeira legal no instagram e no twitter sobre esse livro, as pessoas publicam fotos de seus diários com a Hashtag #DESTRUAESTEDIARIO é bem legal, deem uma olhadinha e vejam o quanto as pessoas são criativas aqui.

Então é isso, espero que tenham gostado! Beijos e até o próximo post.

31/10/13

Preconceito racial





 Ok, esse post não vai tratar de preconceito propriamente dito, ou pelo menos não do preconceito que você pensou ao ler o título, pois eu acredito que o preconceito não deveria existir, pois aliás somos todos seres humanos (isso daria um ótimo tema para outro post? hmmm). Nesse post eu vou falar sobre um preconceito um pouco diferente, e que é racial sim.

Sabe Pit Bull? Aquele cão bravo, que ataca à todos, que morde, mata, arranca pedaços?
Você aí! tem essa visão distorcida sobre essa raça de cães? Então querido, continue à ler, que eu vou expor a minha opinião sobre isso.
Meu irmão sempre me dizia que traria um Pit Bull pra casa, e eu não queria, de jeito nenhum, achava esse cão feio, nojento e pelo que via nos noticiários sentia um medo extremo, essa raça me causava repulsava, "Não Fernando! eu não quero! Não! eu não vou cuidar! Não! Luiz Fernando! É... aí ele vai ficar grande e vai nos machucar! Quero ver o que vai acontecer! Fernando... n-ã.. "
Eis que surge, depois de um grande tempo, Pandora!
 
Gente, e o preconceito com essa raça de cachorros, onde fica? Sumiu, pois bem... Parei com a ignorância de pensar que tal raça é má, que tal raça... Não! parem! por favor! não é bem assim não! Poxa, só porque um Pit Bull é um Pit Bull, não quer dizer que ele irá lhe atacar, só por que você tem um Poodle em casa não quer dizer que ele seja mansinho, parem com essa  hipocrisia, por favor. Sim, os Pit Bulls tem um temperamento forte, mas é só sabermos educar, se você tratá-lo como nada, ou seja, batendo e fazendo o que bem entender com ele, é claro que ele vai crescer revoltado, agora se você souber educá-lo, com certeza ele terá total respeito por você. E o melhor, quanto mais cedo ele estiver em contato com outras pessoas, mais dócil ele será, é basicamente isso. Sim, eu tinha um baita preconceito com essa raça de cão, mas depois que você o tem, ao seu lado, você muda totalmente sua opinião sobre tudo o que a mídia impõe a respeito deles. Estou escrevendo esse post, pois sei que muitas pessoas, que assim como eu que tinha preconceito, ainda tem! e insistem em dizer que estão certas.



                                  

 Agora vamos nos encantar, com a linda da minha Pandora!





                 

 

 
  
  
 
 
 
 

 Enfim, tentei colocar as imagens em ordem cronológica (é isso mesmo produção? *o*) hahah' Então é isso, Pandora é uma cadela que nasceu no dia 26/01/2013. Fez 10 meses esses dias, uma Pit Bull, saudável, espuleta, cheia de energia pra gastar, e quer saber mesmo? Super dócil, nunca se quer rosnou! Verdade! é isso, espero que tenham gostado do post, e se você é uma das pessoas que tem certo preconceito com Pit Bulls, espero que tenha revido os seus conceitos sobre isso. Beijos, e até o próximo post!