20/06/14

Sobre o medo de tentar:



Engraçado né? A gente cobra tanto dos outros mas não somos capazes de enxergar o próprio nariz, cobramos por atitudes mas não agimos, cobramos por compreensão mas somos os primeiros à julgar, queremos que as pessoas nos esperem, mas não saímos do lugar. É que é bem mais cômodo esperarmos dos outros do que corrermos atrás, não é mesmo? Esses dias eu descobri que realmente quem quer vai atrás, e se der medo vai com medo também, pois afinal é isso o que nos limita, é esse tal medo da vida, das escolhas, dos castigos que a vida nos impõem, ele faz com que a gente não tente, ele destrói sonhos, contudo temos que abrir nossos olhos, pois alguns momentos e até mesmo algumas pessoas valem à pena o risco a ser corrido, você só deve tomar cuidado ao identificá-las.
2 comentários Postado por Camila Rodrigues às 14:19

Amor próprio


Dia desses eu estava olhando no espelho e comecei a perceber que cada linha, curvatura, e expressão do meu corpo inteiro, é único, isso me encantou, e então eu aprendi à gostar do que estava vendo, aprendi a gostar daquelas pintinhas que eu tenho no ombro, comecei à enxergar com outros olhos as sardas que eu tenho em minhas bochechas, comecei a gostar das cicatrizes que os tombos foram deixando com o tempo, gostei de tudo o que vi, pois afinal eu sou isso, sou um emaranhado de histórias, de sentimentos, tanto bons como ruins, sou única, e não haveria graça alguma ser igual, aprendi à gostar de mim inteira, mesmo sendo uma metade meio torta e sem sentido, aprendi que nada nem ninguém vai me substituir, pois cada qual é insubstituível, aprendi que se eu entregar amor ao mundo, esse amor voltará em dobro, com isso também aprendi à ter amor próprio, pois Vovó Hilda já dizia "Menina, cê não tens amor próprio, quem vai te amar, Mila? Quem?", aprendi... Aprendi como se aprende a letra de uma nova música, a qual de vez em quando você esquece, mas então você lembra o quão linda ela é (a música e você) e então você lembra, reaprende a gostar da música e a cantá-la, reaprende a dizer à si mesma "Eu sou linda e nada vai me deixar para baixo". De vez em quando a gente esquece disso, mas noutras vezes lembramos, e repetimos como um mantra "Sou linda... Sou linda! eu me amo" até que isso grude em nossa mente.

                                                                                                            
0 comentários Postado por Camila Rodrigues às 01:30
28/12/13

Resenha - O que toda mulher inteligente deve saber



Sinopse: Esse livro trata de um tema fundamental: a auto-estima nos relacionamentos amorosos.  As mulheres inteligentes sabem que existem duas maneiras de aprender a lidar com os homens - uma fácil e outra difícil. O problema é que a maioria delas escolhe a segunda forma, passando por experiências que deixam cicatrizes, mágoa, raiva e insegurança. O objetivo de Steven Carter e Julia Sokol é justamente ensinar um caminho mais simples - e menos traumático - para alcançar essa sabedoria. Baseados em experiências de pessoas que, como nós, ja investiram em relacionamentos que não deram certo, perderam noites chorando e esperando telefonemas que nunca receberam, eles dão valiosas dicas para que você evite os mesmos erros. Qualquer mulher que tenha se apaixonado pelo menos uma vez na vida vai se reconhecer nessas histórias, rir de si mesma e descobrir que o amor verdadeiro é muito mais do que o coração disparado e pernas bambas. Com a ajuda deste livro você vai aprender também:
  • Os 11 mandamentos da mulher inteligente
  •  Como distinguir os homens certos dos errados
  • Quando acreditar no que ele diz e quando cair fora
  • Como identificar um homem potencialmente violento
  • Como lidar com uma separação

O que toda mulher inteligente deve saber vai ajudar você a escolher relacionamentos que lhe permitam crescer e sobretudo tornar-se a pessoa mais importante de sua própria vida.


 Autoras: Steven Carter & Julia Sokol
 Editora: Sextante
 Número de Páginas: 155
  

Eu ganhei esse livro em um sorteio feito pela Amanda Freire (ela é uma fofa! me mandou até uma cartinha junto com o livro ), enfim... O que toda mulher inteligente precisa saber é um livro bem tranquilo de se ler, uma leitura agradável, a capa e principalmente a sua cor são bem fofas, as páginas levemente amareladas deixam a leitura muito agradável, bem, o conteúdo é previsível nada do que já não saibamos, porém alguns trechos nos surpreendem. O livro relata histórias de outras mulheres e suas desilusões amorosas, a gente ri, e se identifica com as histórias, e é interessante podermos ver de outro ângulo as situações inusitadas que são parecidas com as que já passamos ao decorrer da vida. Mas a leitura apesar da previsibilidade é muito interessante, ela é válida sim! pois nada do que lemos se é perdido.


7 comentários Postado por Camila Rodrigues às 01:51
06/11/13

E ela morreu...




Apenas um textinho para reflexão

Ela morreu sem ter lido todos os livros que ela queria ter lido, morreu sem ter dito eu te amo, morreu antes de ter entrado numa faculdade, sem ao menos saber qual faculdade gostaria de fazer, ela morreu sem saber a continuação da sua fic predileta, antes de ter ido à Roma. Morreu sem conhecer os seus amigos virtuais, deixou também de ter conhecido o seu ídolo, ela morreu e não conseguiu encontrar o amor da sua vida, morreu sem saber amar e ser amada. Morreu sem dar um último melhor abraço do mundo, sem ter visto neve. Morreu sem saber o que é auto-estima. Sem saber que muitos a amavam, sem perceber que iria fazer falta se fosse. Ela, na verdade não soube o que era felicidade. Partiu sem ter um cão e um gato, sem ter pulado de para-quedas e também sem o primeiro beijo. Morreu sem antes dar um mero Olá, Bom dia, e um Obrigada. E a morte tomou conta dessa garota, à partir do momento em que ela deixou de acreditar em si mesma, deixou de acreditar em seus sonhos, em que ela acima de tudo teve medo, ou até mesmo deixou de lutar! noutras vezes fora orgulhosas, egoísta. O que as pessoas não sabem, é que existem muitos outros iguais à ela, já estão mortos, só esqueceram de avisá-los, e pode ter certeza, esse tipo e morte é a pior. Achar que é incapaz, não-merecedor, isso é a coisa mais triste que existe. Ela simplesmente se foi, ficou presente em corpo, mas sua alma estava desgastada, seus sonhos corroídos pelo mal, suas dores se tornaram profundas, ela cansou de lutar, pela vida, por seus desejos. Ela apenas sobreviveu a vida, não a viveu em si, não sorriu o quanto deveria sorrir, não quis errar para aprender, não abraçou o tanto que queria, não amou intensamente. E ela podia estar viva nesse momento, podia mudar a sua vida, fazer do seu passado mais feliz, mas não o fez, pois ela se foi, junto com as suas ambições, seus sonhos, com os seus desejos. Ela continua intacta, e ainda tem chances para mudar esse teu passado/presente/futuro, mas não o deseja mais, quer apenas ser isso, o que chama de solidão. Parece não haver mais volta.

Camila Rodrigues
20 comentários Postado por Camila Rodrigues às 21:51