Depois que o Ensino Médio acabar, você vai direto pra faculdade, fazer aquele curso que sempre quis, vai ter uma vida badalada, amigos ao seu redor e será feliz para sempre.


Isso é o que todos esperam, mas não necessariamente você, ou talvez você espere isso também, mas eu só estou aqui para dizer que, isso pode não acontecer, e se isso não acontecer, tenha certeza absoluta que você não falhou. Estamos vivendo em uma sociedade que a cada dia que se passa, nos cobra mais e mais, uma sociedade que ao invés de nos acolher e nos ajudar a lutar por nossos sonhos, simplesmente nos diminui e nos dizem que não somos capazes. 
O que fazer depois do Ensino Médio? Bem, muitas coisas podem ser feitas, nós podemos optar por trabalhar e ficar perto da nossa família, nós podemos optar por tirar a tão sonhada CNH, e depois ver qual será o próximo passo, podemos tirar um ano de férias para refrescar a nossa cabeça e fazer alguma viagem, pois, sim, o Ensino Médio é aquela antítese de melhor e pior fase de nossas vidas, toda aquela pressão, todos aquelas vestibulares, fórmulas e datas para decorar, sem sombra de dúvidas é um martírio.
Nós podemos esperar por amadurarmos mais, ficar mais um ano estudando e sendo assim, ir atrás de nossos sonhos, podemos optar também por não fazer faculdade, porque ninguém é obrigado a nada. Se você não sabe qual curso quer, ou se realmente não sente interesse em estudar, pra que fazer? Faculdade não é uma garantia, você pode trabalhar com infinitas outras coisas que não precisem de um curso superior. Não é o fim do mundo, é só o começo de uma vida. Agora as coisas começam, meio tortas, sem rumo e tudo mais, mas estão começando. Uma dica é: Cerque-se de pessoas do bem, que te estimulem e acreditem em seus sonhos, independentemente de quais sejam, sendo assim a vida por mais rude que seja, se tornará mais leve.


Vivemos numa era em que tudo é imediato, o sucesso, o amor, a família, mas esquecemos que por trás de tudo isso, existem seres humanos, que têm dificuldades, medos, inseguranças, e que só querem alguém em quem se apoiar, para que sendo assim, possam seguir em frente.



Você não se esqueceu, não deixou de amar, mas é que, algumas pessoas passam em nossas vidas, nos iluminam, ensinam coisas maravilhosas, nos fazem rir como não se houvesse amanhã, enxugam nossas lágrimas, dão conselhos, discutem contigo, pelo  teu bem, é claro. E depois de amar tanto, elas simplesmente se vão, não porque querem, não porque não gostam mais de você, apenas por que a vida é assim, é como aquela metáfora que insistem em dizer, que a vida é como um trem, o qual entram pessoas novas a cada estação, e ao mesmo tempo algumas saem. E isso é natural, a gente não força a saída de alguém de nossas vidas, elas simplesmente se vão, pela necessidade de conhecer coisas novas, de alçar voos maiores, e talvez nós não estejamos prontos para alcançarmos tal altura, quem sabe um dia, essa pessoa volte, e nos mostre tal caminho? Ou quem sabe, nós mesmos, sejamos capazes de se libertar, e traçar os nossos próprios caminhos. É claro que as conversas vão ficando raras, que a intimidade, com o tempo, vai se perdendo. Mas o amor, continua ali, por isso eu insisto, em sempre dar um “oizinho” “como vai, você?”, pra mostrar que, independentemente da distância física e agora até mesmo emocional, eu ainda lembro dessas pessoas, que foram incríveis em minha vida. E eu as amo, como desde a primeira vez que conversamos, até agora. Fica impossível esquecer alguém que te cativou.



Sinopse: Nada de mais acontece na pacata Vênus Cove, até o dia em que três anjos, Gabriel, Ivy e Bethany, são enviados dos Céus para proteger o lugar contra forças obscuras que começam a surgir. Disfarçados como irmãos, eles tentam levar uma vida comum. Gabriel torna-se professor na mesma escola à qual Bethany - a caçula - é enviada para estudar. Mas Beth, atrapalhada em sua inexperiência como ser humano, apaixona-se por Xavier Woods, o belo representante da escola. Uma situação que não só poderá comprometer sua existência como anjo, mas, principalmente, sua verdadeira missão. E tudo ficará aina mais confuso para Beth quando um garoto charmoso, sedutor e mortal chegar à cidade.
Eles terão que dar duro para ocultar sua verdadeira identidade e, acima de tudo, suas asas.

Autora: Alexandra Adornetto
Editora: Agir
Número de páginas: 469
Comprado em: Submarino.



Notas iniciais: A pergunta à se fazer é: Por que esse livro e não um outro qualquer? E a resposta é: Geeente! olha essa capa linda aí! Tem como não se apaixonar?? . Então, fazia um bom tempo que eu tinha uma vontade insaciável de ler este livro, que faz parte de uma trilogia, o primeiro é Halo (este da resenha), depois vem Hades e por último mas não menos importante Heaven. Fazia um bom tempo que eu tinha vontade de ler, a sinopse me deixou curiosa, mas como o título do livro, da trilogia em sí, é em inglês, eu pensava que não tinha ele em português (deeer , claro que tem né!), foi então que eu aproveitei uma promoção do Submarino, que até agora está tendo (então aproveitem!) e não me arrependi. Tudo bem, chega de enrolação e vamos ao que interessa.

Um amor que ultrapassa as barreiras do Céu e do Inferno.


Resenha: Halo é o primeiro livro de uma trilogia que completa-se por Hades e depois Heaven. Ele conta a história de três irmãos que veem à Terra, com a missão de ajudar as pessoas, fazendo atos bons e espalhando a bondade, compaixão, etc. Esses anjos são Gabriel, Ivy e Bethany, eles veem com uma missão, mas Bethany, a irmã caçula tem uma enorme inocência e inexperiência que a faz ter alguns atos até mesmo impensáveis que poderão dar rumo à uma história arrebatadora. Ela diferentemente de seus irmãos, anseia ter a vida de uma adolescente normal.

Seu ar angelical não passará despercebido pelos colegas de classe, assim como sua paixão por Xavier. Ele é bonito, divertido e tem um coração enorme, e uma química logo surgirá entre os dois. Não demorará para que iniciem um doce romance, daqueles de arrancar suspiros. Porém, ao se envolver com Xavier, Beth desafiará  a vontade do Céu. Ao mesmo tempo, uma nova força surgirá em suas vidas, sob a forma de um estudante sombrio e inescrupuloso.

E então? Será que Um amor é capaz de ultrapassar as barreiras do Céu e do Inferno?. Halo é um livro super gostoso de ler, tem suas folhas levemente amareladas o que deixa a leitura bem mais agradável e sua fonte é de tamanho ideal. A autora soube relatar bem as duvidas de Beth em relação à si mesma e ao amor, soube também encaixar muito bem as atividades que seus irmãos Gabriel e Ivy faziam aqui na Terra, porém eu acho que faltou um melhor abordamento em sua melhor amiga assim que Beth chegou a Terra, que é Molly. Sinto que a personagem não foi muito bem abordada, e que fique claro que no primeiro livro eu não fui muito com a cara dela não... O enredo gira entorno do dia a dia de Bethany e Xavier, suas descobertas, e suas dúvidas, mas com uma leitura fluída e sendo assim nem um pouco cansativa, mas o que faz as coisas ficarem quentes é um novo aluno que chega a escola, no começo inofensivo, e depois... Jake Thorn mostra suas garras e é capaz de levá-la ao inferno. 

O livro tem várias partes fofinhas, mas separei um momento em especial que me fez perder um pouco de fôlego:


"- Não digo que não entendo - admitiu. - Parece o fim do mundo, não é?

- O Fim de toda a felicidade - acrescentei. - De Tudo que conhecemos. É o que acontece quando transformamos alguém em tudo."


Já li Halo a um bom tempo, porém só agora criei ânimo para terminar a resenha. Finalizo ela por aqui, pois ainda temos a resenha de Hades a qual dará continuidade ao livro e então vocês entenderão perfeitamente sobre o que estou falando. Eu realmente esperava mais de Halo, mas ele sem sombra de dúvidas me deixou com muitos sentimentos guardados, desde ódio ao amor, aflição, e irritação! Meu Deus! Molly conseguiu me irritar, e Beth também conseguiu, já Xavier... Bom, o que falar desse cara que eu nem sequer conheço direito (pois nem existe  :( ), mas nossa... hein! Se existisse... Um verdadeiro príncipe! Ou anjo da guarda, mas nesse caso sem asas.




Classificação final:

★★★
Bom!







           Algumas vezes em nossas vidas nós nos sentimos inseguros, cheios de crises e coisas que fazem com que a gente não caminhe, simplesmente não saia do lugar, um receio enorme de errar surge dentro de nós, como um meio de nos guardar e proteger, mas é aí que você se cansa da sua vida monótona, do tédio, das coisas que não acontecem, da vida que não é vivida, pois ela simplesmente passa, sem você ao menos perceber.
              O difícil é dar o primeiro passo, é se libertar das garras e incertezas do passado e se permitir à novos conhecimentos, sorrisos, abraços, e até mesmo decepções. Você quer trocar de corte de cabelo, mas tem medo que fique horrendo (cabelo cresce pow!), você tem uma enorme indecisão se deve ou não chamar tal pessoa para sair com o medo de um não, mas a questão é, porque temer o não, se ao invés disso você poderá receber um sim. Decepções fazem parte da vida, mas a alegria é consequência dos riscos que nós nos permitimos tomar, eu cansei de esperar tudo acontecer, e você? Que tal se juntar a mim, e começar a correr também atrás de suas metas? Pois eu farei isso.
             Eu tenho medo, estou indecisa, insegura, não sei de devo, mas vou dar um passo de cada vez, e ao decorrer do tempo, quando eu me sentir mais segura, tento andar mais rápido, e por mais que existam pedras no caminho eu vou tentar desviar, e se eu tropeçar e cair, vou me levantar, pois afinal, faz parte, e eu vou andar mais rápido, logo estarei correndo, e quanto mais rápido eu correr mais próxima dos meus sonhos eu vou estar. E então? Vai ficar sentado aí, esperando as coisas acontecerem como um passe de mágica? Falta coragem! Pois eu te digo, viver já é um ato de coragem, se você está nesse momento lendo isso, você é a pessoa mais corajosa que eu conheço.