Sinopse:  A última coisa de que Mia se lembra é a música. Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais - mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir ao esforço dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera... e o seu amor luta para ficar perto dela. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente - e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difíicil de todas.

 Se ela ficar...


   


 Autora: Gayle Forman
 Editora: Novo Conceito
 Número de Páginas: 223


Resenha: Se eu ficar é um livro que traz muitas emoções, pelo simples fato de falar sobre o amor, não só o amor em forma de casal, mas sim o amor de uma família. Desde que o filme estava para estrear eu fiquei apaixonada por esse livro e o filme também (tudo bem que eu ainda não o assisti, mas enfim, né... rsrs)

"Em uma manhã de fevereiro. Mia sai para um passeio de carro. E, em um instante, tudo muda. Todas as escolhas se perderam, menos uma. A única que realmente importa. Se Eu Ficar é um conto belíssimo sobre a força do amor, o verdadeiro significado da família e as decisões que todos nós precisos tomar. (...)"

E é à partir de um acidente de carro, que a vida de Mia muda completamente. Mia é uma adolescente normal, que ama seu violoncelo e idolatra a música, a música faz parte de seu corpo, sua alma, assim como o amor que ela sente por sua família, sua amiga e por Adam que é o seu namorado.
Ela se sente um pouco diferente da família, seus pais amam rock n' roll, e ela música clássica, seu pai tocava em uma banda da cidade, até o irmão mais novo de Mia nascer, e eis então que ele se decide, tornar-se pai de verdade, com um trabalho e tudo mais.
O que acontece é que, Se Eu Ficar, mostra o quão nós aprendemos a valorizar quando perdemos, o livro mostra de uma maneira triste o quão importante nossa família é para nós, e que, o amor, une acima de tudo, tudo e todos. Se Eu Ficar tem uma narração envolvente, com vários detalhes, suas folhas são lindas, e a cada passe de página podemos presenciar notas musicais ♫, a narração não é completamente linear, sendo que em alguns pontos do livro, Mia volta em suas memórias, e sendo assim, podemos descobrir o quão adorável e normal (no sentido bom, okay?) é, essa garota.
Podemos presenciar força de vontade, amor, e alguns planos mirabolantes para as coisas acontecerem nesse livro, promessas de amor, lágrimas e compreensão.

 

Você vai lendo e todos os seus sentimentos se misturam com o que está sendo lido, e então você torce por Mia, torce pelo amor dela, torce para que ela fique, mas essa é uma escolha dela, Mia é livre, e se ela escolher não ficar? e Se Ela Ficar, e as coisas não forem boas? Se você fosse ela, o que escolheria?


"Às vezes você faz escolhas na vida, e às vezes as escolhas fazem você. Essa é a beleza das coisas."

Quando um livro me toca de tal forma por envolver coisas rotineiras como a família (da qual não nos damos conta do quão essencial ela é para nós), quando um livro que era só para ser mais um romance me faz realmente refletir.
E que rumo foi esse que a história tomou? Que encerramento foi aquele? Ao final do livro temos um pequeno trecho da continuação de Se Eu Ficar, que é intitulado de Para onde ela foi, e eu só tenho algo à dizer... Deixou um gostinho de quero mais sim!! Agora só nos resta esperar... Para onde será que Mia foi parar?

Classificação final:
★★★★
Muito bom!









Sinopse: Era uma vez uma Princesa... Você já deve ter ouvido esta introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas esta princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada românica como são os contos de fadas. Muito pelo contrário.
Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim, isto tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que, de uma hora pra outra, tudo mudou.
Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nuca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida. 
Se alguma vez passar por isto, saiba que você não é a única.
Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim...


 Autora: Paula Pimenta
 Editora: Galera Record
 Número de Páginas: 189

Resenha:

"Era uma vez uma princesa. Ela era a mais bela do reino. Era também meiga, inteligente e talentosa. Todos a admiravam. Todos queriam estar perto dela. Todos queriam fazê-la feliz, pois o seu sorriso iluminava o mundo inteiro. Um dia, apareceu uma bruxa e resolveu dar um fim naquela felicidade toda. A princesa caiu em um sono profundo e por isso o reino inteiro se entristeceu. Os dias ficaram nebulosos. As noites perderam as estrelas. Mas ninguém contava com um detalhe: o coração da princesa ainda batia dentro de outro coração... Então, de repete, ela acordou. E trouxe cada um dos seus sonhos para a realidade."
 
O livro conta a história de Rosa, que desde pequena mora com seus três tios, pois em seu passado aconteceu uma coisa muito terrível, sendo assim ficou sem seus pais. Seus tios são superprotetores e não deixam que Rosa faça nada, o que acontece é que à partir de tais circunstâncias, Rosa começa a se permitir mais estando em companhia de suas amigas.
Princesa Adormecida é uma releitura da história da Bela Adormecida, transcrita para os dias atuais, o livro é a coisa mais fofa do mundo, desde a capa, às folhas amareladas e com uma diagramação impecável!

 

Ao decorrer da história, Rosa conhece Phill, que dá uma primeira impressão muito boa, realmente um príncipe encantado, ou será que não? O livro é dividido em duas partes, as quais o clímax fica entorno do passado e futuro de Rosa, o qual de um certo modo tem vários suspenses, o que realmente aconteceu com os pais de Rosa? Por qual motivo seus três tios se preocupam tanto com ela? 
Paula Pimenta conseguiu captar a doçura das histórias clássicas e colocá-la de um jeito encantador numa que transcreve os dias atuais. 



Princesa Adormecida é um livro Infanto-Juvenil, mas que com certeza vale a pena a leitura, senti falta de mais entrosamento entre as personagens, principalmente entre Rosa e Phill (que é extremamente apaixonante ). É um livro para ler-se em uma tarde tranquila, acompanhado de uma boa música, a trilha sonora dele é Rainbow da Colbie Caillat. 

Deixa eu por mais essa foto aqui, assim vocês ficam com gostinho de quero mais! hahhah

 

Princesa Adormecida tem sua segunda parte bem intrigante e cheia de suspenses, seu final é de um certo modo inesperado, e se eu disser que algumas lágrimas chegaram a rolar em meu rosto, não estarei mentindo, mas coisa mínima, vocês sabem como é né? rsrs
Esse tipo de livro deveria ser proibido para garotas românticas que estão à espera de seus príncipes encantados, mas enquanto não os encontramos, vamos contentar-se com Phill, e a história fofa de Princesa Adormecida.

Classificação final:

★★★★
Muito bom!


Notas finais: Ganhei esse livro de uma fofa, a Camila Neves, dona do blog delamila, participei de um sorteio que ela fez em seu blog, e acabei levando essa fofura!




Engraçado né? A gente cobra tanto dos outros mas não somos capazes de enxergar o próprio nariz, cobramos por atitudes mas não agimos, cobramos por compreensão mas somos os primeiros à julgar, queremos que as pessoas nos esperem, mas não saímos do lugar. É que é bem mais cômodo esperarmos dos outros do que corrermos atrás, não é mesmo? Esses dias eu descobri que realmente quem quer vai atrás, e se der medo vai com medo também, pois afinal é isso o que nos limita, é esse tal medo da vida, das escolhas, dos castigos que a vida nos impõem, ele faz com que a gente não tente, ele destrói sonhos, contudo temos que abrir nossos olhos, pois alguns momentos e até mesmo algumas pessoas valem à pena o risco a ser corrido, você só deve tomar cuidado ao identificá-las.



Dia desses eu estava olhando no espelho e comecei a perceber que cada linha, curvatura, e expressão do meu corpo inteiro, é único, isso me encantou, e então eu aprendi à gostar do que estava vendo, aprendi a gostar daquelas pintinhas que eu tenho no ombro, comecei à enxergar com outros olhos as sardas que eu tenho em minhas bochechas, comecei a gostar das cicatrizes que os tombos foram deixando com o tempo, gostei de tudo o que vi, pois afinal eu sou isso, sou um emaranhado de histórias, de sentimentos, tanto bons como ruins, sou única, e não haveria graça alguma ser igual, aprendi à gostar de mim inteira, mesmo sendo uma metade meio torta e sem sentido, aprendi que nada nem ninguém vai me substituir, pois cada qual é insubstituível, aprendi que se eu entregar amor ao mundo, esse amor voltará em dobro, com isso também aprendi à ter amor próprio, pois Vovó Hilda já dizia "Menina, cê não tens amor próprio, quem vai te amar, Mila? Quem?", aprendi... Aprendi como se aprende a letra de uma nova música, a qual de vez em quando você esquece, mas então você lembra o quão linda ela é (a música e você) e então você lembra, reaprende a gostar da música e a cantá-la, reaprende a dizer à si mesma "Eu sou linda e nada vai me deixar para baixo". De vez em quando a gente esquece disso, mas noutras vezes lembramos, e repetimos como um mantra "Sou linda... Sou linda! eu me amo" até que isso grude em nossa mente.